quinta-feira, 18 de abril de 2013

Anvisa determina quantidade de Iodo no Sal







A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a imediata redução da quantidade de iodo adicionada ao sal. O brasileiro é um dos maiores consumidores do sal e, o consumo do iodo traz malefícios a saúde, segundo a inúmeros estudos.

Em falta

Quando está em falta, o iodo pode interferir durante a gravidez, ocasionando nascimento de crianças com rebaixamento mental e surdez congênita. Sua ausência também pode afetar na tireoide. No entanto, como tudo na vida, se consumido em excesso, pode fazer mal. Veja a seguir.

Em excesso

O excesso de iodo pode trazer problemas de tireoidite de Hashimoto, ou tireoidite linfocítica crônica. Segundo o Dr. Drauzio Varella, ocorre inflamação da tireoide por um erro do sistema imunológico porque o organismo passa a fabricar anticorpos contra as células da tireoide. Esses anticorpos provocam a destruição da glândula ou a redução da sua atividade, o que pode levar ao hipotireoidismo por carência na produção dos hormônios T3 eT4.

A redução

A determinação da Anvisa reduz a faixa de adição para 15 a 45 miligramas de iodo para cada quilo de sal. A relação até agora aplicada é de 20 miligramas a 60 miligramas por quilo.

A resolução passa a valer 90 dias depois da sua publicação no Diário Oficial da União. Nesse tempo, as fabricantes podem se adequar. Não foi imposta nenhuma medida a lotes já produzidos com níveis acima do novo padrão. Eles poderão ser comercializados normalmente.

Receba por e-mail