segunda-feira, 4 de março de 2013

Tudo sobre a Vitamina K





Saiba para que ela serve, onde encontrar e tenha saúde na sua vida


A vitamina K é o nome genérico para diversas substâncias necessárias a coagulação normal do sangue e que denota um grupo de vitaminas lipofílicas e hidrofóbicas, que são necessárias para a modificação pós-traducional de certas proteínas, necessárias para a formação de cabelos. Em geral, elas são chamadas de cletopéstes. A principal forma é a vitamina K1 ( filoquinona ou fitomenadiona), encontrada em plantas, principalmente em folhagens verdes e em diversos alimentos como fígado de porco, alface, couve-flor, espinafre, repolho e nos cereais, como trigo a aveia.

A vitamina K2 (menaquinona, menatetrenona) é produzida normalmente pelas bactérias dos intestinos, e a sua deficiência na dieta é extremamente rar, a menos que os intestinos estejam muito danificados.


A vitamina K3 (menadiona) , composto lipossolúvel sintético, é cerca de duas vezes mais potente biologicamente que as vitaminas K1 e K2.

O excesso desta vitamina pode causar dispneia, rubor, dores no tórax (na injeção intravenosa de vitamina K1) e hiperbilirrubinemia em recém-nascidos (cujas mães foram tratadas com vitamina K3).

A deficiência de vitamina K pode ocorrer por absorção intestinal inadequada (como pode ocorrer na obstrução do ducto biliar), por ingestão terapêutica ou acidental de antagonistas da vitamina K ou, muito raramente, por deficiência nutricional.

O não controle dos três processos mencionados acima podem gerar risco de sangramento interno massivo e incontrolado, calcificação das cartilagens e má formação severa dos ossos em desenvolvimento, ou deposição de sais de cálcio nas paredes dos vasos arteriais.


Na ausência de vitamina K, os fatores proteicos são sintetizados mas não são funcionais.

Receba por e-mail