segunda-feira, 22 de julho de 2013

Pirâmide alimentar ganha novos itens





Veja como ficou nova divisão das categorias para uma dieta adaptada aos brasileiros


Muitas pessoas que procuram uma dieta logo são apresentadas a pirâmide alimentar. Ainda existem muitas casas em que essa pirâmide fica colada na geladeira. Se a sua família usa os esquemas propostos, aí vai uma bomba. Inventaram uma nova pirâmide.

A pirâmide alimentar tradicional foi adotada no Brasil em 1999, pela pesquisadora Sonia Tucunduva Philippi. De lá pra cá pouco se modificou no esquema gráfico que indica a proporção que cada tipo de alimento deve ser ingerida diariamente. Depois de anos em vigor, os itens foram repensados e uma nova pirâmide é apresentada.

Basicamente, é tudo a mesma coisa. O que realmente aconteceu foi um aumento da gama de alimentos a disposição das pessoas. Agora, se o indivíduo não gosta de alguma coisa, pode trocar por um item que agrada ao paladar. As principais adições foram a do arroz integral , das folhas verdes-escuras, dos peixes como salmão e sardinha e das oleaginosas como castanha-do-pará.

Entenda o que mudou nos quadros abaixo 




Veja quais os alimentos incluídos em cada um dos grupos alimentares:

- Grupo do arroz pão, massa, batata, mandioca: destacou-se a presença do arroz integral, pão de forma integral, pão francês integral, farinha integral, biscoito integral, aveia e inclusão da quinoa e do cereal tipo matinal;
- Grupo das frutas: houve o realce maior para as frutas regionais como caju, goiaba, graviola e a inclusão dos sucos e salada de frutas;
- Grupo das verduras e legumes: foram incluídas as folhas verdes-escuras, repolho, abobrinha, berinjela, beterraba, brócolis, couve flor, cenoura com folhas e a salada com diferentes vegetais;
- Grupo do leite, queijo e iogurte: maior visibilidade a todos os alimentos do grupo como fonte importante de riboflavina (B2) e principal fonte de cálcio na alimentação. Iogurte apresenta alto valor nutricional;
- Grupo das carnes e ovos: maior destaque para os peixes do tipo salmão e sardinha e regionais e para os cortes mais magros e grelhados, frango sem pele e ovos;
- Grupo dos feijões e oleaginosas: o feijão e a soja como preparação culinária, a lentilha e o grão de bico, e oleaginosas como castanha-do-Pará e castanha-de-caju;
- Grupo dos óleos e gorduras: houve destaque para o azeite;
- Grupo de açúcares e doces: colocou-se o chocolate e o açucareiro.

Fonte pesquisada: www.noticias.uol.com.br

Receba por e-mail