quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Pra que ter flexibilidade?






Veja o que a palavra significa e como ela pode lhe ajudar nas tarefas do dia a dia

Podemos definir a flexibilidade como a capacidade dos tecidos corporais em permitir, sem danos ou lesões, a ampla movimentação em uma articulação ou grupos de articulações. A flexibilidade tem dois níveis. Ela pode ser ativa, quando o indivíduo contrai alguns músculos e alonga outros e também passiva, quando a pessoa é auxiliada por pesos ou algum parceiro.

Vários fatores interferem na flexibilidade. Alguns exemplos podem ser o sexo, estrutura articular, ligamentos, tendões, músculos, pele, lesões, tecido adiposo, temperatura corporal e temperatura ambiente. Quanto menor a flexibilidade, menor a amplitude dos movimentos. E isso serve para as tarefas diárias.


Massa muscular: ela pode ser uma limitação mecânica, quando obtida em excesso.
Idade: A flexibilidade aumenta na transição entre infância e adolescência. No entanto, com o passar dos anos, ela vai diminuindo.
Sexo: O sexo feminino apresenta maior capacidade de alongamento e elasticidade da musculatura, ligamentos e tendões.
Temperatura: Ela interfere na flexibilidade. É por isso que muitos dizem que fazer exercícios com temperaturas controladas é melhor.

Benefícios da Flexibilidade.

Uma pessoa mais flexível executa as tarefas mais facilmente, pois tem melhores capacidades motoras condicionantes e coordenativas. Você abaixa melhor, pula melhor, caminha melhor, lava louça, pega objetos, enfim, uma vasta gama de benefícios.

Academias ajudam na flexibilidade?

Os treinamentos funcionais são sucesso nos dias de hoje e agradam muitas pessoas. Existem sempre aqueles que buscam força, outros que buscam equilíbrio, enfim. Com a flexibilidade não é diferente. Ela pode ser obtida, ou melhor, aprimorada com um programa específico de treinamento. Na dúvida, procure sempre um profissional qualificado.  

Vídeo com treinamento de flexibilidade.


Receba por e-mail