domingo, 7 de julho de 2013

A enxaqueca e suas relações com os hormônios





Por Dr André Felicio, neurologista, doutor em ciências pela UNIFESP, membro da Academia Brasileira de Neurologia e pós-doutor pela University of British Columbia, no Canadá (CRM 109665)


É difícil encontrar uma pessoa que nunca tenha tido, pelo menos, um único episódio de dor de cabeça na vida. Até porque os números não mentem: cerca de 95% das pessoas terão, no mínimo, uma crise de cefaleia ao longo da vida. Neste ponto, as mulheres acabam sendo mais prejudicadas.

 Isso porque as mulheres, diferentemente dos homens, têm um ciclo hormonal muito particular que envolve, desde a primeira menstruação até o período da menopausa, uma flutuação mensal dos hormônios. E é justamente esta flutuação dos hormônios que faz com que a mulher suscetível (com predisposição para ter dor de cabeça), desenvolva mais crises que os homens.

Sem dúvidas, esta relação entre os hormônios e dores de cabeça é muito mais ligada à famosa enxaqueca. E daí vem, por exemplo, a conhecida enxaqueca menstrual. Normalmente, quando o neurologista está diante de uma situação destas, uma das maneiras de lidar com o problema é através de tratamento preventivo, com medicações que evitam que a mulher tenha dores de cabeça.

No entanto, muitas vezes só isso não é suficiente, e a ajuda de um ginecologista pode ser fundamental, uma vez que uma das estratégias seria interromper o ciclo menstrual e, portanto, as flutuações dos hormônios.

Além disso, há certas curiosidades acerca do assunto. Você sabia, por exemplo, que cerca de 2/3 das mulheres que sofrem de enxaqueca, não sentem dor de cabeça durante a gestação, em particular, no segundo e terceiro trimestre. Este é o momento em que os hormônios, em geral, dão uma trégua, e a prolactina, hormônio que se eleva bastante neste período, acaba sendo um fator protetor contra as enxaquecas.

É bastante desafiadora esta relação entre os hormônios e as dores de cabeça, especialmente, as enxaquecas. De qualquer forma, uma avaliação médica cuidadosa será suficiente para identificar esta relação entre o ciclo hormonal da mulher e suas dores de cabeça, indicando o melhor tratamento possível.

Fonte: http://www.brandpress.com.br 

Receba por e-mail