quinta-feira, 30 de junho de 2011

Dietas radicais prejudicam o organismo?




Fonte: Site Bem Estar.

Estar com o corpo em forma é desejo que grande maioria da população nunca vai ter. Mesmo entre os magros, são raros os casos em que o indivíduo não tenha ao mínimo alguns quilinhos acima do peso. Com o tempo os padrões mudam e a chegada do sedentarismo a nova geração agrava ainda mais esse quadro.

É nessas horas que geralmente as pessoas acabam apelando para métodos extremos de emagrecimento, como, por exemplo, as dietas meteóricas que prometer resultados imediatos. No entanto, o que muitos não percebem é que esse tipo de atitude pode comprometer o pleno funcionalismo do corpo humano e até provocar algumas doenças.
Para tratar do tema, o endocrinologista Alfredo Halpern e a nutricionista Fernanda Timerman estiveram no programa bem estar e passaram algumas dicas.


Malefícios das dietas rápidas/milagrosas

Esses regimes secam vários quilos, mas assim que terminam, o peso volta ao estágio inicial, ou até além desse patamar, de maneira mais rápida ainda. Além disso, a falta de nutrientes em decorrência da privação alimentar também pode causar fraqueza e cansaço, entre outros sintomas.

De acordo com Halpern, não existe alimento proibido, mas deve haver o controle de todos os itens. Importante é ingerir fracionadamente, várias vezes por dia, e de tudo um pouco. Com o tempo, o corpo adquire memória sobre o peso e a quantidade de gordura.
Para saber quais os alimentos que combinam com o organismo, os indivíduos precisam procurar um nutricionista. Só ele vai poder avaliar o quadro clínico da pessoa e indicar os melhores caminhos. Emagrecer geralmente é um processo lento, que precisa de empenho e dedicação.

Dicas importantes na hora de começar uma dieta.

O segredo do emagrecimento, segundo os especialistas entrevistados, está em uma reeducação alimentar. É preciso delimitar o número de refeições diárias, fazê-las com calma, e ingerir porções equilibradas e proporcionais a cada tipo de organismo.

Receba por e-mail