sexta-feira, 14 de junho de 2013

Como diagnosticar o autismo – Principais sintomas?






O principal passo para o tratamento de um autista é o diagnóstico precoce do problema. Quantos antes se descobrir, antes o tratamento começa. O autismo é determinado através de um amplo protocolo de avaliações de preferência multidisciplinares (neurologista, pediatra, psicóloga, fonoaudióloga dentre outros). É necessário também uma avaliação auditiva, análise bioquímica para erros inatos do metabolismo, exames de cariótipo, eletroencefalograma, ressonância magnética de crânio, além de outros.



Essa bateria de processos é desgastante, mas fundamental. Além de detectar o autismo, é preciso estabelecer em que grau ele se encontra, para que o tratamento seja o melhor possível.

•CID-10: Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados. Diretrizes diagnósticas para autismo infantil de acordo com o CID-10

Principais sintomas do autismo

Os sintomas do autismo são muitos. O que vale destacar é que uma pessoa não precisa ter todos eles para ter quadro positivo de autismo. Basta identificar alguns fazer o teste detalhado. Vamos a lista

Dificuldade de relacionamento com outras pessoas
Riso inapropriado
Pouco ou nenhum contato visual - não olha nos olhos
Aparente insensibilidade à dor - não responde adequadamente a uma situação de dor
Preferência pela solidão; modos arredios - busca o isolamento e não procura outras crianças
Rotação de objetos - brinca de forma inadequada ou bizarra com os mais variados objetos
Inapropriada fixação em objetos
Perceptível hiperatividade ou extrema inatividade - muitos têm problemas de sono ou excesso de passividade
Ausência de resposta aos métodos normais de ensino - muitos precisam de material adaptado
Insistência em repetição, resistência à mudança de rotina
Não tem real medo do perigo (consciência de situações que envolvam perigo)
Procedimento com poses bizarras (fixar objeto ficando de cócoras; colocar-se de pé numa perna só; impedir a passagem por uma porta, somente liberando-a após tocar de uma determinada maneira os alisares)
Ecolalia (repete palavras ou frases em lugar da linguagem normal)
Recusa colo ou afagos - bebês preferem ficar no chão que no colo
Age como se estivesse surdo - não responde pelo nome
Dificuldade em expressar necessidades - sem ou limitada linguagem oral e/ou corporal (gestos)
Acessos de raiva - demonstra extrema aflição sem razão aparente
Irregular habilidade motora - pode não querer chutar uma bola, mas pode arrumar blocos
Desorganização sensorial - hipo ou hipersensibilidade, por exemplo, auditiva
Não faz referência social - entra num lugar desconhecido sem antes olhar para o adulto (pai/mãe) para fazer referência antes e saber se é seguro

Fonte: ASA (Autism Society of American)

Com todos esses sintomas, a dica é a observação. Os pais precisam analisar os filhos e, na constatação de alguns desses transtornos, procurar os exames detalhados. O diagnóstico precisa ser preciso e os pais vão ter que se adaptar as exigências dos filhos, com muito carinho, paciência e afeto.


Receba por e-mail