quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

tudo sobre hipertensão na gravidez



A gestação é mesmo um período muito especial e que inspira cuidados. Esses cuidados refletem na vida das mamães em todos os sentidos, envolvendo o controle da alimentação, das emoções, da força física, etc.

E pensando nessa atenção especial que o Proporção de Vida elaborou uma cartilha para mamães hipertensas. Toda hipertensa precisa ter cuidados ainda mais especiais, porque segundo pesquisas, a gravidez se complica de 5% a 8%.

Fique de olho nos cuidados para hipertensão durante a gestação.

A Hipertensão pode ser caracterizada tanto por pré-eclâmpsia/eclampsia (primeira elevação da pressão na gravidez) , como por hipertensão preexistente (crônica). Os dois tipos afetam as mamães e suscitam uma série de precauções e acompanhamento médico.

Tipos de hipertensão na gestação.

1) pré-eclâmpsia/eclâmpsia (doença hipertensiva específica da gravidez);
2) hipertensão crônica, de qualquer etiologia;
3) pré-eclâmpsia sobreposta à hipertensão crônica ou nefropatia e
4) hipertensão gestacional.

Obs: O diagnóstico de hipertensão na gravidez é feito quando a medição da gestante alcança os níveis de 140/90 mmHg. Vamos às definições de cada tipo.


Classificação

A Pré-eclâmpsia/eclampsia - é peculiar da gravidez. Ela se caracteriza pelo aumento gradual da pressão. As vezes, até alterações da coagulação e da função hepática são visíveis. As provas de que a grávida é portadora dessa doença começam a aparecer depois da 20ª semana de gestação.


Os níveis de proteína estão diretamente ligados a doença e precisam ser constantemente verificados. A média mínima é de 300 mg/ 24 horas.

Os sintomas desta doença são edemas, particularmente nas mãos e na face.

Hipertensão crônica

Hipertensão crônica Essa é uma hipertensão que aparece antes da 20ª semana de gravidez. Quando isso acontece, um acompanhamento deve ser feito com a mamãe durante toda a gestação e até posteriormente, por uma período mínimo de seis meses após o nascimento do bebê.

Hipertensão crônica com pré-eclâmpsia superajuntada - A pré-eclâmpsia pode ocorrer em mulheres com hipertensão pre-existente e isso é muito perigoso. A comprovação acontece quando a mamãe sobre um aumento de pressão arterial acompanhado de proteinúria ou edema, após a 20a semana de gestação.

Hipertensão gestacional – Essa modalidade serve para apontar as circunstancias em que ocorre elevação da pressão arterial durante a gravidez, ou nas primeiras 24 horas após o parto, sem outros sinais de pré-eclâmpsia ou hipertensão preexistente.

Sem sombra de dúvidas, a doenças mais prejudicial a mãe e a criança é a Pré-eclâmpsia. Isso se deve a uma evolução desconhecida pelo corpo clinico mundial. A mamãe pode sofrer compulsões e dentro de pouco tempo ter o quadro piorado, sem conhecimento do motivo.

Tratamento para problemas de hipertensão na gestação.

Como já vimos anteriormente, existem diferentes tipos de sintomas para inúmeros tipos de hipertensão. Vimos também que os médicos precisam ficar sempre atentos, por a Pré-eclâmpsia não mostra evolução clara. Com isso, indicar em uma reportagem o tratamento ideal para o seu problema, é um tanto quanto arriscado. Nesse espaço, o Proporção de Vida deixa a dica. Acompanhe sempre a sua gestação e saiba de seu especialista de confiança, todas as prevenções que possa fazer.

Além disso, evite discussões por motivos desnecessário. Não faça esforço em demasia, fique atenta para não misturar trabalho, casa e gestação. Nessa época especial para a mamãe, todo cuidado é pouco.

Esse texto traz informações baseadas em texto de Istênio F. Pascoal, denominado Hipertenção e gravidez, que você pode acessar de forma completa, clicando no link.

Gostou do Post? Indique mais temas de seu interesse para o Proporção de Vida.

Receba por e-mail